segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Em certos dias eu não sei jogar esse jogo chamado vida. Eu caio, despenco, choro no canto, no escuro.
Em certos dias um vazio me envolve, me ensurdece, me deixa distante e bem sensível.
Nesses dias eu fico no automático. Sorrisos, trabalho, família, tudo fluindo sem grandes esforços ou desejos de superação.
Um dia a armadura de força, esperança e bom humor cai ao chão e eu fico totalmente vulnerável.
Qualquer dor vira a maior das dores, qualquer carinho transforma-se no carinho do século e as esperanças e desejos atingem seu ápice ou caem por terra junto com a moça inatingível.
Não sei ser meio, não sei sentir pouco, gostar metade, lutar só um 'cadin'...eu me entrego a tudo que quero, desejo, busco.
E sinceramente já não sei o quanto isso é bom.

Alice A.


Nenhum comentário:

Postar um comentário