terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Sobre o que (não) fica


"Como na minha metáfora do armário, as peças não irão se ajeitar a menos que A GENTE as ajeite. É dobrar o que puder ser dobrado, pendurar o que puder ser pendurado, jogar fora o que não mais servir para nada. Ou doar. Fazer isso é respeitar o ciclo da vida. É ar-rejar, dar espaço para o novo, deixar o rio correr... Uma vida parada é como uma poça parada. Um bom lugar para moscas e podridão."
(Elenita Rodrigues)


Nenhum comentário:

Postar um comentário