terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Eu vejo na lua oque eu já não posso ver dentro de mim, a imensidão do seu olhar, o abraço apertado a estralar minha coluna, o beijo insensato que já não consigo tirar da mente. O meu coração juntinho ao seu. Seu par de braço nas minhas não tão redondas curvas. As suas mãos gigantes nas minhas mãos grandes... Enfim, ainda me perguntam porque olho tanto para lua.
(Jaqueline Fortaleza)

Nenhum comentário:

Postar um comentário