segunda-feira, 10 de dezembro de 2012



"As vezes o peito pára. Segundos de espera, agonia silenciosa de quem ama. As vezes o peito ama. Segundos de euforia, mundo tortuoso que silencia"

(Mel Fronckowiak)

Nenhum comentário:

Postar um comentário