sábado, 9 de abril de 2011

Primeira, e última .

Ela era ingênua, e acreditava em tudo que ele dizia. Ele te fazia juras de amor a cada segundo que passava. Era um futuro promissor, amor, muito amor, filhinhos e um cachorrinho fofinho. Lindo não?
- Claro que não, primeiro, por que começou com muito amor, e os filhos então, já era para desconfiar, e quando decidiram o nome do cachorro. Foi fatal, ele iria deixar ela semanas depois.
Mais ela era ingênua demais pra enxergar isso naquele momento. E adivinha? – ela chorou horrores, chorou por dias, todas as noites ali, calada, num particular com seu travesseiro.
Num dia, ela acordou e resolveu , viver , e adivinha quem voltou ? - Sim, ele estava ali, com três palavras nos lábios: Volta pra mim?
Voltar ou não voltar? – eis a questão!
Vá, chute...  É, é verdade, ela voltou,  mais com idéias tão maquiavélicas na cabeça, que até eu tenho medo de pensar. Estava tudo certo, ela iria sofrer por amor, e simples assim. Ele iria passar, dias ali chorando, todas as noites em particular com seu travesseiro, assim como ela fez um dia. Mais o melhor de tudo, ela sofreu por que o amou, amou muito. Ele sofre por que foi burro muito burro.
Não se machuca uma mulher e fica por isso mesmo. Um dia ela vai te dar o troco, e você vai se arrepender de cada promessinha ridícula que você vez. Pense nisso!

(Elline Fortaleza)

Nenhum comentário:

Postar um comentário